Pular para conteúdo 
Зеленый кофе

O autor

Carlos Eduardo de Souza, Front-End Developer & Interface Designer na Coopers Digital Production, dedica seu tempo para o desenvolvimento de uma Web mais acessível. Possui certificado W3C em Mobile (sites e web apps) e HTML5.

Portfolio e blog sobre Web Standards – project.47, de Carlos Eduardo de Souza

Blog

Topo 21/09/06

A dependência de uma ferramenta

A difusão de ferramentas visuais (WYSIWYG) para construção de sites já foi maior, mas ainda podemos perceber a dependęncia das mesmas por parte de alguns “profissionais”.

Pegando o exemplo do Dreamweaver (como sempre), podemos perceber facilmente tal dependęncia. Imaginemos que alguém se auto-intitule Web Designer e diz que sabe lidar com este programa, até que uma empresa lhe faz uma ótima proposta de emprego, mas não possui o “único meio de se fazer um site”, deixando o profissional de mãos atadas. Como proceder nestes casos? Será que este é um verdadeiro profissional?

Coloco tais questőes em pauta pois, quem sabe somente lidar com um programa A ou B, não sabe fazer um site, literalmente falando. Se for assim, é só fazermos um destes cursos baratos, pois sairemos contentes e “experts” em fazer sites.

Meu objetivo aqui não é falar mal de uma ferramenta específica, mas a dependęncia que ela causa. Seja flexível, aprenda a editar seu site pelo código, há ótimos programas gratuitos para isso, diferencie-se destes “usuários-de-programas” que pensam saber fazer de verdade.

Assuntos: Geral, Web Design
Trackback Feed deste artigo

27 comentários para "A dependência de uma ferramenta"

  1. Felipe Ranieri | 21/09/06 - 11:20 am

    Ótima dica. Muita gente começa na área achando que basta saber editar a página no modo design e ta tudo certo.
    A galera tem que ficar esperta, nossa profissão já é meio queimada por conta disso.

    Falows!

    Topo
  2. Eugenio Grigolon | 21/09/06 - 11:29 am

    Concordo. Qualquer ferramenta deixa o profissional dependente dessa e faz a maior parte de seu trabalho.

    Não é o profissional que trabalho, e sim a ferramenta.

    Já fui a várias entrevistas que me perguntaram: “vocę sabe usar algum software free? sabe programar em notepad?”. Nisso, duas grandes questőes me fizeram pensar (e muito) sobre softwares de qualquer finalidade.

    1 caso – “softwares livres”: parti para o eclipse, com plugins de web standards, php, javascript, e outros. Já para design, usei por uns tręs dias o GIMP2, só que não consegui me adaptar. Por exemplo, na nova empresa que estou trabalhando, todos usam OpenOffice.Org, e não MS Office.

    2 caso – “uso de ferramentas variadas”: sempre achei legal saber usar mais de uma ferramenta, tanto paga quanto free. Isso amplia muito sua visão e o currículo também. Então não podemos sempre usar o padrão, Dreamweaver e Photoshop, e sim sempre tentar variar.

    Assim, acho legal o profissional sempre saber usar outros tipos de softwares além do que usa no cotidiano, tanto para licenças, quanto para outros usos.

    Topo
  3. Carlos Eduardo de Souza | 21/09/06 - 12:29 pm

    Concordo com vocęs.
    Há ótimas alternativas para serem descobertas, mas não há como nos desvencilharmos de tudo também né? Sou totalmente dependente do Photoshop como editor de imagens “rasterizadas”.
    Já em vetor, uso Illustrator ou Corel, ambos pagos também.

    Mas há alternativas gratuitas como o InkScape (vetor), GIMP (bitmap) e outros tipos de softwares, como o OpenOffice, que possui vários aplicativos para edição de texto, planilhas, etc… Legal isso! =)

    Topo
  4. Anderson Schloegel | 21/09/06 - 1:14 pm

    Concordo com o ponto de vista de vcs. Mas confesso. Uso o dreamweaver e gosto dele. Calma, não uso o modo design, uso somente o coder. Uso ele por que gosto do auto-completar que ele tem. Essa facilidade ajuda no tempo gasto escrevendo. Apesar de usar o dreamweaver não sou dependente dele, faço até no bloco de notas como citado acima. Já andei testando alguns programas diferentes pra fazer sites mas não encontrei nenhum com o auto-completar, vcs conhecem algum que tenha?

    Topo
  5. Carlos Eduardo de Souza | 21/09/06 - 7:22 pm

    Não gosto muito desses programas pois são muito grandes e pesados.

    Para CSS, se deseja um programa que realmente auxilie com os códigos, bom mesmo é o Top Style.

    Topo
  6. Doufer | 21/09/06 - 7:41 pm

    E viva o notepad! : )

    Topo
  7. Leandro | 21/09/06 - 8:03 pm

    Isto é verdade Carlos! Mas como meu note é porrada não sinto muitos problemas.

    Eles trazem uma série de outros recursos bem uteis.

    Topo
  8. Jader Rubini | 21/09/06 - 8:45 pm

    Nada melhor do que programar um site diretamente no código…
    Cheguei a experimentar o PSPad e o TopStyle, mas não gostei muito não. Ainda prefiro meu fiel EditPlus.
    Na agęncia onde trabalho, infelizmente estou tendo que usar o Dreamweaver (só no modo código, é claro! hehe), mas espero que isso mude em pouco tempo… Detesto esse programa! :P

    Topo
  9. Mario Nery | 21/09/06 - 8:49 pm

    Eu uso o Dreamweaver, nos dois modos, tanto no código quanto no visual. Por que? Velocidade de produção. O DW agiliza muito a produção e a integração entre design e código. Ultimamente tenho usado o PSPad para editar códigos e fazer pequenas correçőes.

    Gosto muito do Dreamweaver, e posso dizer que pelo menos na grande maioria das empresas de web do Rio de Janeiro sempre tem o DW instalado. Concordo com a opção de softwares livres. Já testei o Web Live da MS e o NVU para Linux, mas o NVU é muito limitado, pois nao aceita a edição de páginas em ASP (não a minha versão…)

    Acredito que existem profissionais de todos os tipos, e não penso que um cara que trabalha apenas com o Dreamweaver pode vir a ser prejudicado por isso… Basta que ele domine bem a ferramenta… O mesmo vale para os profissionais do Photoshop ou Corel…

    Acho que é tudo uma questão de visão. Claro, que o cara que não entende nada de código fica preso a editores WYSIWYG. Esse sim é o problema. O problema não é a ferramenta ou o modo que ela trabalha, mas a qualidade do profissional em ajustar o código na unha… Eu já estou cansado de ajustar algumas coisas no DW através do código, não tem como trabalhar com web e não dominar o código…

    Topo
  10. Carlos Eduardo de Souza | 21/09/06 - 9:09 pm

    Então Mario, a crítica que faço são ŕqueles que apenas lidam com o visual e não com o código, pois a renderização do programa é muito relativa, digamos.

    Topo
  11. Leandro | 22/09/06 - 1:51 am

    O foco do post é que o desenvolvedor não pode ser refém de um editor WYSIWYG. Acho que isto é algo indiscutível e está bem claro para todos contribuintes do blog: nenhum desenvolvedor PROFISSIONAL pode apenas utilizar a interface WYSIWYG para desenvolver um website.

    Porém este post acabou gerando espaço para uma outra discussão bem interessante: ferramentas de desenvolvimento web.

    Podemos ver que existe uma diversidade de opiniőes, e cada um tem seus motivos.

    Nesta discussão eu concordo com o Mário Nery que disse:
    “Eu uso o Dreamweaver, nos dois modos, tanto no código quanto no visual. Por que? Velocidade de produção. O DW agiliza muito a produção e a integração entre design e código.”

    Um dos pontos crítico em projetos hoje em dia é o tempo. O trabalho profissional exige ferramentas que otimizem ao máximo seu tempo. Quanto mais recursos as ferramentas proporcionarem, melhor.

    Neste quesito o Dreamweaver é uma excelente ferramenta. Entre as diversas funcionalidades interessantes, como sincronizar arquivos com o servidor, auto completar (em ASP, jscript, CSS,…), alertar sobre scripts que não rodam em determinado browser, gerenciar diversos projetos, ocultar parte do codigo (tipo seleciono e ele oculta até o ), etc…

    Na minha opinião uma empresa do ramo de desenvolvimento precisa investir ferramentas que melhorem seu processo a facilitem a vida de seus funcionarios. Porque deixar meu funcionário usando um serrote se eu posso oferecer pra ele uma serra elétrica? Ganha ele e ganha eu! Ele pela facilidade no trabalho e eu por uma maior produção do meu funcionário.

    Outra coisa que o Mário Nery falou foi:
    “… O problema não é a ferramenta ou o modo que ela trabalha, mas a qualidade do profissional em ajustar o código na unha ”

    É isso mesmo! O profissional de qualidade domina qualquer ferramenta! Mas com uma ferramenta com mais recursos ele rende mais!!

    Topo
  12. Maicon Junches | 22/09/06 - 7:58 am

    Muito bom seu post, brother estou passando por esta dificuldade, eu faço todo o meu código na mão, não uso a parte “design” do Dreamweaver e deixo ele bem seco usando apenas a parte para escrita do código. Gosto muito dele por ele destacar as tags e etc em cores diferentes, por separar os diretórios e fazer conexőes com FTP, dessa parte eu gosto muito mas percebi que estou viciado nele, só me sinto bem programando nele. Estou procurando um programa que seje grátis e bom, uso pc e mac. Se vocę poder me da umas dicas, e sobre programas eu agradeceria muito. Já vi muitas ferramentas, mas não me agradei.

    Bom, se poder me ajudar ficarei muito grato.

    abraços!!

    Topo
  13. Carlos Eduardo de Souza | 22/09/06 - 9:16 am

    Pois é, sobre essa produtividade que o Dreamweaver ou qualquer ferramenta visual pode proporcionar, é relativo. Depende de profissional pra profissional, obviamente.

    Penso que essa parte de edição visual do programa pode ser substituída pelo velho método no qual, abrindo o Firefox, por exemplo, visualiza como seu site vai ficando, de acordo com a programação…

    Alguns programas que indico, como alternativa, são: Edit Plus, PSPad e SciTE (o PSPad, como já havia dito, é gratuito e o SciTE não tenho certeza absoluta).

    Topo
  14. Leandro | 22/09/06 - 1:55 pm

    Carlos, acho que não entedeste muito bem a produtividade que me refiro, ela não se refere apenas elaboracao de páginas.

    Exemplificando para melor entendimento: um ganho de produtividade com Dreamweaver é esta questão do FTP. Após terminar alguma alteração em algum código fonte, peço para ele sincronizar com o site no servidor, então o Dreamweaver me mostra quais arquivos estão diferentes no servidor. Assim publico apenas os arquivos alterados.

    Se eu utilizasse um programa de FTP separado, eu teria que abrí-lo e mandar sincronizar (se o programa tiver opção de soncronização, alguns não tem ai se publica tudo ou fica catando dentro das pastas os arquivos alterados).

    Porque 2 programas separados se tenho tudo em um só?

    Claro, a diferença é se ele é gratuito ou não. Porém recoloco minha consideração anterior:

    “Na minha opinião uma empresa do ramo de desenvolvimento precisa investir ferramentas que melhorem seu processo a facilitem a vida de seus funcionarios. Porque deixar meu funcionário usando um serrote se eu posso oferecer pra ele uma serra elétrica? Ganha ele e ganha eu! Ele pela facilidade no trabalho e eu por uma maior produção do meu funcionário.”

    Ganho de produtividade em varios aspectos, não apenas no código fonte em si.

    Topo
  15. Carlos Eduardo de Souza | 22/09/06 - 2:06 pm

    Com certeza Leandro, essa facilidade faz muita diferença.

    Mas os programas que referi, principalmente o PSPad (gratuito), já possui essa funcionalidade de conexão FTP e atualização automática. Ou seja, não vejo muita diferença, sendo que este é um programa free, muito mais leve, não ocupa tanto espaço no HD e vocę tem algumas facilidades como: diferenciação por cor das tags, comentários, etc. (coisa básica que se deve ter num editor do tipo), conexão com FTP e recurso de auto-completar, tanto as tags e propriedades, como seus valores.

    Vai dizer que não vale a pena? :)

    Topo
  16. Mario Nery | 22/09/06 - 7:40 pm

    Eu acho que foi o Carlor mesmo quem mencionou o PSPad lá no meu blog. Como eu tenho a mania de testar muita coisa eu testei o programa e gostei muito também. É um excelente editor não visual mesmo. Na verdade ele está instalado dentro do meu pen drive, e roda muito bem, sempre que eu preciso… Excelente indicação do Carlos.

    Gostaria de saber uma opinião da rapaziada:

    Se existisse uma versão free do Dreamweaver ou de um bom editor visual, o pessoal iria aderir ???

    Topo
  17. Carlos Eduardo de Souza | 22/09/06 - 10:54 pm

    Por minha parte, mesmo sendo free, eu não usaria o Dreamweaver.

    O meu grande problema é com essa parte visual. Se ele fosse free, leve, pequeno, talvez eu experimentasse mesmo.
    Mas acho que isso é uma coisa impossível. Estou no aguardo do post do Leandro, falando de algumas boas funcionalidades do programa :)

    Topo
  18. Mario | 23/09/06 - 5:59 am

    Existe uma razão muito simples para a utilização de um programa com um bom WYSIWYG no mercado de trabalho. É porque poupa tempo e então no mundo da multimédia, web e publicidade onde tempo é dinheiro, poupando um segundo a cada movimento é significativo.

    Ninguem deve criar dependęncia, tenho duvidas que profissionais saibam editar html ou php ou outra coisa qualquer no dreamweaver não o saibam fazer apenas olhando pó código, apenas o fazem por convenięncia.

    Mas concordo no ponto que não se deve criar dependęncia, especialmente quem está começando.

    Topo
  19. Maria Bonita | 23/09/06 - 1:14 pm

    Ola Carlos,

    Peço desculpas por estar somente vindo retribuir o seu comentario agora, vim antes por aqui, mas as circunstancias me impediram de o fazer.

    Eu estou muito longe de chegar ŕ este grau, estou lidando com o wp muito basicamente, o meu tempo é tao limitado, mas queria muito, aprender a serio, pois gosto da coisa. Como voce disse no meu site/blog, é com pratica.

    Bom, devagar devagar, vamos indo. Concordo com voce, e ha muita gente por aí que se julgam saber de verdade, e vejo muita ‘beleza’ no site, mas vai ver, a fundo nao sabe lidar bem com os codigos.

    E por sinal, seu é otimo… podia sair sem dizer isso, mas nao quero disperdiçar a oportunidade. Parabens!

    Topo
  20. Leandro | 24/09/06 - 5:15 am

    Bom, um grande recurso do Dreamweaver (também presente no Visual Web Developer Express) é agrupar linhas de codigos e ocultá-los. Por exemplo: seleciono um e aperto em um [-] e ele oculta até o , aperto no [+] e ele volta.

    No Dreamweaver támbem é possivel de selecionar vários opçőes, como desenvolver sites para browsers especificos (ele alerta qdo algo errado é inserido), desenvolver sites dentro dos padrőes, …

    Não cito este recursos para servir de comparação com o PSPad, porque ele são ferramentas diferentes. Enquanto o PSPad é um editor, o Dreamweaver é uma ferramenta para desenvolvimento de web.

    Trabalhos em nível profissional (onde tempo é dinheiro) é essencial uma ferramenta deste gęnero.

    Dizer que uma ferramenta deste tipo é pesada me causa surpresa. Se fosse um programa gráfico 3D até entenderia. Atualmente as máquinas estão baratas e com ótimas configuraçőes, não apresentando problemas para rodar um programa deste tipo.

    Claro que o PSPad é muito mais rápido, porque tem muito menos recursos. Porém este “ganho” de tempo nesta velocidade não chega nem perto do ganho de tempo que se tem com uma ferramenta como Dreamweaver.

    Topo
  21. Carlos Eduardo de Souza | 24/09/06 - 11:30 am

    Sinceramente, não vejo ganho nenhum de tempo com ferramentas visuais.

    A facilidade que supostamente dão, na edição do código, é substituída facilmente quando vocę utiliza o browser para ver como o site está ficando.

    Sobre o programa ser pesado, faz diferença sim.
    Vocę lá, trabalhando, escutando uma música, Photoshop, Corel ou Illustrator abertos e mais o programa de edição do site, faz diferença sim. E, sei lá, irrita demais, quando quero fazer pequenas alteraçőes no código HTML, esperar aquele Dreamweaver chato abrir… É irritante mesmo!

    Falo do Dreamweaver pelo exemplo que passo várias vezes, não que seja somente ele… Mas pra mim, não serve não :)

    Topo
  22. Leandro | 24/09/06 - 9:32 pm

    Carlos leia com mais calma os comentários! Não falei que o ganho é com a ferramenta visual!! Falei dos diversos recursos que o Dreamweaver oferece que trazem ganho de produtividade.

    Acho que são raros os profissionais web que não possuem uma máquina adequada para trabalho. Desde que eu tinha meu note HP AMD 3.200mhz com 512Mb de memória eu trabalhava com photoshop, outlook, dreamweaver, mais um monte de outros softwares abertos sem nenhum problemas.

    Vocę não sabe os ganhos que tem com uma ferramenta como Dreamweaver pelo simples motivo de não utilizá-la!

    Talvez se um dia vocę for trabalar em uma empresa profissional especializada vai entender o que eu e o Mário Nery estamos falando! Já percebi que essa é o principal ponto de divergęncia em nossas opiniőes, neste e nos posts passados. Temos um ambiente de trabalho diferente, por isso nossos pontos de vista diferentes! :)

    Topo
  23. Chan | 25/09/06 - 9:33 am

    Grande verdade, mas creio que o principal culpado da historia não são os programas WYSIWYG, e sim a falta de seriedade das empresas que contratam os profissionais do mercado, já vi muita gente pegando ótimos empregos sem saberem nada, simplesmente por conhecerem fulano ou ciclano, ou por serem mais baratos, no fundo vc não é o que vc sabe e sim quem vc conhece, é uma triste realidade do mercado. Claro que não são todas as empresas que são assim, mas vamos ter espereça de que o tudo irá mudar.

    Topo
  24. Anderson Schloegel | 25/09/06 - 1:57 pm

    Chego a concordar com o Leandro e com o Mário Nery, o Dreamweaver nem chega a ser pesado. Nem com todos os outros programas abertos no PC. E o recurso agrupar linhas/códigos é fantástico. Quem usa ele sente falta em outros programas. Mas também concordo com o Carlos no ponto da visualização do site em andamento, tem que ser no FF ou um navegador qualquer. A renderização do DW é horrível, hehehe. As vezes até me da medo. kkk. Outra opção que eu gosto (e muito) no DW que não achei nos outros programas que testei é o “localizar/substituir” em todos os arquivos abertos ou no diretório completo. Isso é uma mão na roda. Imagina ter que abrir arquivo por arquivo em um site qualquer e mandar substituir uma palavra la dentro… a pessoa morre de desgosto :)

    Topo
  25. Carlos Eduardo de Souza | 25/09/06 - 3:08 pm

    Desculpe Leandro, mas não fiz o post me referindo somente ao Dreamweaver… Somente a dependęncia de ferramentas do tipo visual, que pra mim é o pior problema.

    O programa pode gerar um código horrível, mas o “profissional” acha que fica tudo bem.
    Se vocę acha que tal programa facilita sua vida, excelente.
    Mas já utilizei o Dreamweaver umas vezes e não me apresentou nada de mais.

    Esse recurso de agrupar linhas há no SciTE, programa simples e leve.

    Topo
  26. Leandro | 26/09/06 - 3:03 am

    Não utilizo o modo visualizador do Dreamweaver. Este é outro recurso interessante dele, ele apresenta a interface conforme o tipo de usuário. Webdesigners utilizam o modo WYSIWYG, desenvolvedores apenas codigo fonte.

    Sim carlos, vocę pode encontrar todos recursos do dreamweaver em diversos softwares, mas nenhum vocę encontra todos eles juntos como no dreamweaver.

    O Dreamweaver é referęncia mundial para desenvolviemento web. Empresas profissionais o utilizam.

    Mas se vocę quiser continuar serrando lenha com serrote a opção é sua! :)

    Se vocę um dia tiver boa vontade de utilizar vai entender.

    Sei que o post inicial era sobre a dependęncia de ferramentas WYSIWYG, porém, isto é algo óbvio! O post rendeu vários comentários porque trocamos o foco da discussão para ferramentas de desenvolvimento web!

    Topo
  27. Alfred R. Baudisch | 11/10/06 - 9:43 am

    Programo desde meus 12 anos e felizmente sempre usei tudo na mão. Por sorte, meus primeiros sites foram em ASP, então eu era obrigado a fazer na mão e assim peguei o jeito da coisa. Eu uso desde meus 13 o Edit Plus! O programinha bom!

    Atualmente como faço design em tableless e sistemas em PHP em grande porte, eu uso Dreamweaver para editar CSS (devido a facilidade de auto-preenchimento – mas uso só no modo “Code”) e Zend Studio para o PHP. Mas, o Edit Plus ainda é bom companheiro em várias tarefas.

    É impossível editar um Tableless no modo design desses programas. A pessoa que faz isso, realmente deve deixar a desejar para os navegadores em geral.

    Editando via código, vocę trabalha onde for, quando for. Pois, vocę sabe o essencial: código. A ferramenta, pode ser qualquer uma, pois o código depende de ti.

    Topo
Comente este artigo
  1. (obrigatório)
  2. (obrigatório)

Links Randômicos
Meta
Apoio
Créditos
Creative Commons