Pular para conteúdo 
Зеленый кофе

O autor

Carlos Eduardo de Souza, Front-End Developer & Interface Designer na Coopers Digital Production, dedica seu tempo para o desenvolvimento de uma Web mais acessível. Possui certificado W3C em Mobile (sites e web apps) e HTML5.

Portfolio e blog sobre Web Standards – project.47, de Carlos Eduardo de Souza

Blog

Topo 06/04/08

Novos projetos lançados

Aproveitando o assunto das novidades que estão por vir, alguns projetos já estão se concretizando.

O primeiro é o blog sobre esporte diferente, criado para participar do campeonato de SEO da agęncia em que trabalho e, por sinal, está indo muito bem!

Outro trabalho que iniciei nesta semana foi um blog sobre Nintendo Wii, que também utilizarei para aplicar as técnicas de SEO absorvidas no decorrer do campeonato e escrever sobre um assunto que gosto muito de falar, o Nintendo Wii.

E, por fim, tenho honra em anunciar o lançamento do site oficial do time de futebol americano Curitiba Brown Spiders, no qual estamos colocando todo o conteúdo no ar, mas sua estrutura está toda pronta.

Além dos projetos pessoais, atualizarei a seção Portfolio com alguns novos sites que desenvolvi lá na agęncia, como por exemplo o site de venda do Google Earth Pro… Ficou bem interessante.

Topo 13/03/08

Tempo de mudanças!

Pois é pessoal… Chegou um tempo de grandes mudanças!

Primeiramente, graças ŕ um grande esforço consegui comprar o MacBook Pro, que pretendo utilizar em meus trabalhos, aumentando o meu rendimento e, conseqüentemente, a lucratividade nos projetos realizados.

Ainda tenho que ganhar experięncia no Mac OSX, mas já consegui me habituar com ele e perceber que não dá mais pra voltar a usar PC. Graças ao meu amigo Eduardo Perroud, consegui boas referęncias em programas de edição HTML/CSS para Mac, portanto nessa parte também estou tranqüilo. O único problema é a diferença de renderização do Firefox do Mac para o Windows, mas o problema também já foi constatado e contornado.

Devido ao tempo que levei para aprender e me habituar bem com o notebook, sobrou pouco para postar aqui, mas podem ficar tranqüilos que teremos novidades!

Tenho muitos temas para abordar, desde questőes relacionadas aos blogs, técnicas de CSS, SEO, Web Design, etc., ou seja, tem muita coisa boa engatilhada pra escrever na continuidade. Claro, também darei seqüencia ŕ “Sexta-feira dos Web Standards” que estava tendo um retorno legal do pessoal.

Por fim, mas não menos importante, quero aproveitar essa nova fase de oportunidades e amadurecimento para renovar o visual do project.47 e, de repente, mudar um pouco a estratégia do site… Bom, vamos ver como as coisas vão se encaminhando.

Aguardem pelas novidades :)

6 comentários Assuntos: Geral
Topo 13/01/08

Ser especialista é melhor do que saber um pouco de tudo

Esse é um tema que venho pensando em abordar há um bom tempo, principalmente agora com o amadurecimento das profissőes voltadas ŕ Internet.

Lá pelo final da década de 90, quando houve o boom da Internet, surgiram vários “profissionais” que diziam saber de tudo, ou melhor, se intitulavam “Webmasters” que, teoricamente, sabiam e faziam de tudo no site.

Porém, como dito anteriormente, com o amadurecimento das profissőes e serviços prestados, além do surgimento de novas categorias, foram exigidos conhecimentos cada vez mais específicos. Por exemplo, hoje em dia, é obrigatório termos um profissional que saiba de Design voltado para Web e outro de TI, cada um em sua área. Posso afirmar que, quanto mais focado em sua profissão, mais bem sucedido vocę será nela. Mas não devemos nos esquecer de termos noçőes das outras etapas que envolvem o projeto.

Mas essa questão toda da especialização pode acabar se tornando uma armadilha para alguns. Com certo tempo de trabalho, conheci muita gente que acha que ser Designer basta para criar o layout para um site, por exemplo. Quem acaba se dando mal é o cara encarregado de fazer o HTML e CSS, tendo que se desdobrar para montar layouts mirabolantes, exigindo PNGs transparentes, fundos pesadíssimos, etc… Quantos já não passaram por isso?

Como Designer, posso afirmar que para se criar algo voltado para a Internet, deve-se fazer uma pesquisa sobre esse tipo de mídia, pois são apresentadas algumas “limitaçőes” (como na escolha de fontes, por exemplo), além da própria maneira do usuário interagir com ela ser totalmente diferente de um cartaz, por exemplo. Aliás, essas limitaçőes acabam deixando louco o pessoal que só trabalha com mídias offline.

Na realidade, o ponto ideal seria cada um conhecer e ser o mais focado possível em sua profissão, mas nunca chegar ao ponto de não saber mais nada das outras áreas que envolvem seu projeto, pois isso poderá acarretar sérios problemas para a continuidade do mesmo. Entrando em termos práticos, o resultado disso tudo seria a famosa “refação”, devido a falta de qualidade do produto entregue.

Leia também: Vocę trabalha com comunicação digital

Topo 28/12/07

Feliz 2008!

Adeus ano velho, Feliz Ano Novo!

Encerro este ano desejando a todos vocęs um ótimo 2008, com muito sucesso e que, claro, seja melhor ainda que este ano de 2007.

Este foi um ótimo ano, com muitas transformaçőes e afirmaçőes tanto no sentido profissional como no pessoal. O project.47 estará completando seu segundo ano de vida, graças aos comentários, visitas e apoio de todos vocęs!

Analisando a lista de desejos e previsőes que fiz para este ano que se passou, posso afirmar que:

  • O uso do Internet Explorer 7 cresceu bastante, mas pode crescer muito mais, com a facilidade de poder atualizar o IE6 sem a necessidade de validação do Windows;
  • O Firefox teve um acréscimo no número de usuários, mas vem enfrentando muitos problemas de segurança (prontamente corrigidos);
  • Infelizmente o Furacão não ganhou nenhum título, mas ano que vem tá aí… É só esperar :)
  • Sim, consegui terminar o layout do blog que, sinceramente, ficou acima do esperado;
  • Minhas aulas na faculdade acabaram… Agora “só” falta o TCC para me formar;
  • Houve amadurecimento por parte dos blogs, tanto na abordagem como nos comentários, mas temos muito a melhorar, principalmente no cenário nacional;
  • Completei meu segundo ano de namoro… Será que vai dá em casamento?
  • Ah, consegui comprar meu Wii e, com certeza, consegui aproveitá-lo muito bem durante o ano!

Então, como é de prache, desejo a todos uma boa “virada” e boas “entradas” para o ano que vem! Sucesso a todos!

Topo 02/11/07

Sexta-feira dos Web Standards #2

Chegou mais uma sexta-feira e, portanto, estou postando a segunda edição da lista semanal de links e espero que lhes ajude a solucionar problemas e, claro, adquirir novos conhecimentos!

  • Evaluation of [tag]WYSIWYG[/tag] editors – Artigo muito interessante que mostra detalhes de testes realizados com vários editores visuais que, em sua maioria, são utilizados para cadastro de conteúdo dinâmico (por exemplo, sistemas gerenciadores de conteúdo – CMS).
  • [tag]XHTML[/tag] Character Entity Reference – Lista de referęncia dos valores UTF para vários caracteres especiais, auxiliando no desenvolvimento de seu site, caso hajam problemas para exibição dos mesmos.
  • CSS Layout- 100% height – Exemplo de layout feito com [tag]CSS[/tag], ocupando toda a altura da janela. Basta abrir o código fonte e verificar a maneira pela qual o site foi produzido.
  • FancyForm – Ferramenta que possibilita a troca das velhas checkboxes de formulários para imagens de acordo com sua escolha, através de JavaScript e CSS. Dependendo da necessidade proveniente do layout, esta funcionalidade pode fazer toda a diferença!
  • Fade Out Bottom – Exemplo de layout que utiliza “fade out” no rodapé do site, criando um efeito visual muito interessante.
  • IE/Win Inherited Margins on Form Elements – Este artigo mostra detalhadamente o bug do [tag]Internet Explorer[/tag], mais especificamente em elementos de formulários (como inputs, selects, etc.), que acabam herdando as margens do elemento pai, causando vários problemas relacionados a layout. Ao final, mostra como este problema pode ser corrigido.
  • 10 colour contrast checking tools to improve the acessibility of your design – Artigo que comenta 10 ferramentas destinadas ŕ análise de contraste de cores em seu site, a fim de melhorar a acessibilidade do mesmo.

Espero que esta lista tenha sido útil para vocęs e, certamente, semana que vem teremos a terceira versão!

Topo 25/10/07

Como fazer seus clientes se importarem com os Web Standards?

A evolução na área dos [tag]Web Standards[/tag] é inegável; mais e mais desenvolvedores vęm aderindo ŕs definiçőes da W3C, sabendo na prática os benefícios de seguir os padrőes.

Mas um grande problema que enfrentamos acontece, principalmente, no momento de tentarmos convencer um cliente de que contratar alguém experiente em Padrőes Web é necessário e benéfico para seu negócio. Claro, não há nenhuma fórmula mágica para conquistar os clientes, mas há certos cuidados que podem ser tomados.

Um detalhe que não devemos nos esquecer é que o cliente não quer saber detalhes técnicos sobre o assunto, pois vocę pode acabar fazendo o efeito contrário, deixando-o assustado com tantos termos diferentes. Não tente explicar que ao utilizar CSS, o site será desenvolvido separando o conteúdo de sua forma de apresentação, por exemplo, pois o que realmente lhe interessa, basicamente, é tempo e dinheiro. Portanto, a maneira certa de demonstrar os benefícios de contratar alguém com estes conhecimentos, seria demonstrar os resultados práticos para o negócio, ou seja, o que isso tudo pode trazer de bom para o cliente, justificando todo o investimento.Entrando em detalhes na questão do tempo e dinheiro, pode-se explicar o fato de que o site feito seguindo os Web Standards garante grande economia na transferęncia de dados com o servidor de hospedagem e, conseqüentemente, exigindo menores custos para manutenção do site. O custo é menor com relação ao desenvolvimento, pois exige menos tempo do profissional e, conseqüentemente, a manutenção é facilitada, pois dependendo do tipo de atualização, bastam apenas alguns minutos para alterar determinado item do layout que se deseja modificar.

Além da maior agilidade do site, também podemos falar na questão do usuário. Graças ŕ menor exigęncia na conexão, o site torna-se mais amigável para os visitantes, pois seu acesso torna-se mais rápido, facilitando sua navegação. Podem-se fazer ajustes para que deficientes consigam acessá-lo e usufruir de seus serviços, deixando de excluir possíveis clientes, diferenciando-se dos concorrentes.

Também podemos falar pelo lado da divulgação, pois como nós sabemos um site desenvolvido de maneira correta, possui melhor indexação nos resultados de busca. Isso com certeza será um dos pontos determinantes para a decisão do cliente, pois representa maior visibilidade da empresa perante os concorrentes, aumentando a chance de visitas, além de facilitar o acesso ao site por quem está buscando determinada informação.

Desta forma, se deixarmos claro o lado da economia de tempo e dinheiro que este tipo de desenvolvimento pode gerar, as chances de conquistar novos clientes irá aumentar muito; basta saber deixar o fanatismo de lado no momento de explanar os benefícios, para acabar não perdendo seu cliente.

Topo 09/10/07

Apresentação sobre Arquitetura da Informação

Conforme post anterior no qual relatei minhas opiniőes sobre o 12 Encontro de Web Design, em Curitiba, comentei a apresentação de Melqui Jr. sobre o tema Arquitetura da Informação. Este é um assunto que vem sendo comentado cada vez mais, devido sua importância no desenvolvimento de projetos direcionados ŕ Web.

Para aqueles que não compareceram ao evento, foi disponibilizada a apresentação via [tag]Slideshare[/tag]. Recomendo a todos que tem curiosidade e não conhecem muito sobre a história, método de trabalho e resultados na prática, após utilização da Arquitetura da Informação em seus projetos.

Topo 26/09/07

Portfolio mais relevante que currículo?

Após certo tempo e experięncia adquirida, podemos perceber a importância que um bom [tag]portfolio[/tag] pode ter, principalmente se comparado ao [tag]currículo[/tag] comum.

Todos nós sabemos que o currículo é algo básico, indispensável, que todos possuem e devem manter atualizados; seria como um alicerce que justifica todo seu conhecimento e experięncia na área. Mas em nossa profissão de [tag]Designer[/tag], principalmente, necessitamos mostrar a nossa capacidade na prática e nada melhor que um portfolio bem estruturado, exemplificando o que fazemos de melhor.

Acredito que muitos podem discordar mas, ao analisar por esse ponto de vista, o currículo não se torna um diferencial tão marcante pois, se determinado profissional possui um ótimo portfolio, as possibilidades de sucesso são muito maiores. Nada melhor que o resultado de seu trabalho para dizer quem vocę é de fato.

Ao tentar conquistar novos clientes, as informaçőes mais relevantes são aquelas que dizem respeito ŕs qualidades do trabalho a ser realizado, os benefícios que poderão ser trazidos a eles, e não sua formação acadęmica. Na verdade, seu portfolio mostra o resultado de todo seu estudo, o que torna as coisas muito mais fáceis de assimilar por parte do cliente, já que este não precisa saber se as instituiçőes ou agęncias nas quais vocę trabalhou são boas ou não. O que interessa, na realidade, são suas capacidades e o que pode vir a trazer de benefício para ele.

Principalmente nesta realidade na qual estamos vivendo, possuir um currículo é algo obrigatório a todos, mas o portfolio serve como verdadeiro diferencial e pode garantir o emprego almejado.

Topo 16/09/07

Impressőes sobre 12º Encontro de Web Design em Curitiba

Logo do 12 Encontro de Web Design12 Encontro de Web Design
Ontem foi o dia no qual aconteceu o Encontro de Web Design aqui em Curitiba e, finalmente, resolvi conferir este evento em sua décima segunda edição. Como disse o Rodrigo Muniz em sua análise sobre o evento, eu também nunca “havia comparecido a um encontro de nerds até então”.

Mas, desta vez, houve um motivo a mais para me empolgar a ir pois meu colega de trabalho, Melqui Jr., Arquiteto da Informação lá da agęncia iria fazer a palestra de abertura do evento, então não pude deixar de conferir.

Como dito anteriormente, a primeira palestra do evento foi apresentada por Melqui Jr., intitulada: “Aquitetura da Informação do planejamento ŕ publicação dos Websites”. Em minha opinião, esta palestra foi uma das melhores do evento, pois chamou atenção de muita gente que nunca havia tido contato com esse assunto e seu conteúdo foi apresentado da melhor maneira possível, já que serviu justamente para mostrar um breve histórico da Arquitetura da Informação, além de exemplificar o fluxo de projeto (como acontece lá na agęncia) e sua relevância para o sucesso do mesmo, refletindo em resultados impressionantes, melhorando a conversão de visitantes em novos clientes (como foi o caso do novo formulário online do Estadão, tendo 137% a mais de vendas em relação ŕ versão anterior, graças ŕ Arquitetura da Informação e reformulação de layout).

O segundo palestrante foi Michel Lent, CEO da 10’Minutos, abordando o tema “Web 2.0 e as novas fronteiras do mercado e da profissão”. Primeiramente foi abordada a evolução tecnológica que tivemos, principalmente no último século, seguindo para o mundo atual, quase que totalmente digital. Achei interessante o enfoque dado na convergęncia de mídias que estamos tendo atualmente, ou seja, não há mais aquela separação entre televisão, cinema, rádio, computador, celular, etc., pois tudo está conectado de alguma forma. O enfoque na Web 2.0 foi interessante pois abordou o fato da democratização da tecnologia, na qual usuários sem conhecimentos técnicos podem ter controle sobre publicação e oferta de serviços online, algo impossível de imaginarmos até o final do século passado.

Foi dada importância para o lado publicitário do negócio (acho que o próprio termo “Web 2.0” já mostra isso), analisando os sites que, quanto mais complicados forem, menos usuários atraem; por isso devemos ser sensatos ao iniciarmos algum projeto nesta linha, senão afastaremos os visitantes ao invés de atraí-los.

A terceira palestra, apresentada por Frederick Van Amstel, tratou o tema “O valor da pesquisa no Design de Interação” e, juntamente com a de Melqui, creio que já fizeram valer o comparecimento no evento, pois tratou de assuntos que nem sempre são tão comuns aos Web Designers, pois muitos ainda acham que para se fazer um site, basta criar o layout e programar em cima. Foi feita uma abordagem mostrando a base do Design de Interação, analisando o comportamento das pessoas independente da mídia; também foram mostrados os diversos tipos de pesquisa que podem ser feitos, tudo para auxiliar no conhecimento sobre seu cliente e os clientes de seu cliente, além do sucesso no projeto, claro!

Vale ressaltar aqui a iniciativa de formação do Instituto Faber-Ludens, divulgada por Frederick, visando “promover o desenvolvimento do Design e da Tecnologia no Brasil através da integração entre mercado e academia”. O início de suas atividades será no dia 8 de Novembro, o famoso World Usability Day, ou bem bom portuguęs, Dia Mundial da Usabilidade.

E para fechar o evento em grande estilo, André Matarazzo falou sobre o tema “O valor da originalidade no design da Web”, focando na importância que essa originalidade pode ter num projeto de Web, destacando seu projeto dos demais concorrentes. Achei interessante a abordagem sobre a gestão feita em sua agęncia (totalmente horizontal, sem distinção de chefe vs. empregados); a questão do grande número de clientes no exterior, mostrando que isso é viável a outras agęncias brasileiras. Foram mostrados diversos cases da agęncia e, o mais importante, tudo foi embasado, mostrando desde o início do projeto, suas mudanças e argumentos para que tais medidas fossem tomadas. Só acho que foi muito focado para a parte de Flash e 3D, sem falar em usabilidade, acessibilidade de seus sites, etc. o que, para um profissional deste nível e experięncia, não poderia ser deixado de lado.

Porém o que mais me interessou, ao final do evento, foi um ponto no qual todos os palestrantes tocaram: hoje em dia tudo está ficando ramificado, devemos nos especializar para fazer um trabalho bem feito. Há muito tempo quero falar sobre isso no blog e espero em breve poder tratá-lo por aqui.

Infelizmente nos anos anteriores não compareci ao evento, pois alguns conhecidos disseram que não haviam sido muito bons, mas este, com certeza, valeu a pena. As próximas cidades a receber o evento serão: Salvador, Porto Alegre e São Paulo.

Topo 18/07/07

Trabalhando em equipe

Primeiramente gostaria de pedir desculpas pela falta de tempo para postar no blog… Pretendo atualiza-lo com mais freqüęncia novamente, abordando assuntos pertinentes ao pessoal dos Web Standards e, claro, aos que desejam aprender mais sobre Web Design em geral.

Este post tem a intenção de relatar experięncias sobre o trabalho em equipe e como este pode ser aperfeiçoado.

Na agęncia onde estou trabalhando, a freqüęncia de novos trabalhos é grande; são projetos importantes que exigem muito tempo de desenvolvimento e, conseqüentemente, muita gente trabalhando em conjunto. Muitos problemas podem surgir no percurso, devido ŕ falta de planejamento tanto para o desenvolvimento como o fluxo de trabalho propriamente dito.

Quando o projeto é iniciado, uma boa opção é a reunião envolvendo todos os setores, abordando as possibilidades e limitaçőes na execução do mesmo, delimitando os horizontes para que todos saibam onde começa e onde termina o trabalho.

Após definidas as possibilidades do projeto, ele é iniciado e tudo funciona como uma verdadeira linha de produção, onde há etapas a se seguir e, caso a comunicação seja efetiva entre os setores, o projeto será executado de melhor maneira, diminuindo custos e, conseqüentemente, possibilitando maior lucratividade por parte da empresa.

Um bom exemplo seria formular uma série de requisitos para o setor que encaminhará o trabalho para a próxima etapa, por exemplo quando o setor de criação finaliza o layout do site, passa-lo para o setor de desenvolvimento de acordo com alguns pré-requisitos definidos anteriormente, como PSDs mais organizados para que facilite o trabalho de quem irá montar o HTML e CSS, além de documentar variaçőes de títulos, parágrafos, listas, links, botőes, formulários, etc., a fim de agilizar o processo de desenvolvimento do site, diminuindo a possibilidade de erros e divergęncia com relação ao layout proposto originalmente.

Após feita essa parte do trabalho, nunca é demais documentar seus códigos HTML e CSS para que a equipe de implementação possa programar em cima deles de maneira mais eficiente, diminuindo a necessidade de ajustes posteriores.

Essas podem parecer dicas básicas (e realmente são), mas muitas vezes acabamos deixando o simples de lado para procurar soluçőes mais complexas para problemas tão corriqueiros em nosso ambiente de [tag]trabalho[/tag]. Por isso, uma boa comunicação com sua [tag]equipe[/tag] e uma boa dose de bom senso pode facilitar seu trabalho e de sua equipe também. Quanto mais puder padronizar-se na forma de trabalho, melhor.

2 comentários Assuntos: Geral
Links Randômicos
Meta
Apoio
Créditos
Creative Commons