Pular para conteúdo 
Зеленый кофе

O autor

Carlos Eduardo de Souza, Front-End Developer & Interface Designer na Coopers Digital Production, dedica seu tempo para o desenvolvimento de uma Web mais acessível. Possui certificado W3C em Mobile (sites e web apps) e HTML5.

Portfolio e blog sobre Web Standards – project.47, de Carlos Eduardo de Souza

Blog

Topo 13/09/06

O artista, artesão e os Web Standards

Após várias aulas relacionadas a História da Arte, estamos retomando alguns estilos e movimentos na matéria de Teoria do Design.

Fazendo uma analogia da atualidade com os conceitos passados nas aulas, podemos perceber uma evolução em nossa área do Design, especificamente falando, voltado para a Web. Os conceitos são relacionados aos estilos surgidos no final do século XIX e início do XX, no qual houve uma preocupação com as grandes mudanças ocorridas no período, vindas da industrialização e agitação cada vez maior da “vida moderna”. Essa preocupação estava envolvida com uma valorização do aspecto estético aliada a praticidade na execução dos projetos propostos.

Voltando a falar de Internet, com o boom ocorrido por volta do ano 2000, muitas pessoas ficaram interessadas no processo de construção de um site, recorrendo a programas WYSIWYG (editores visuais) para fazę-los, não necessitando de maiores conhecimentos de como um site funcionava realmente por dentro. Desta forma, poderiam abusar com o Photoshop, pois o layout acabava sendo montado quase que automaticamente, sem maiores problemas, ou em pior escala, fazendo sites inteiros com Flash.
Porém, atualmente, estamos passando por uma importante fase: Web Designers realmente estão aprendendo como um site funciona por dentro, projetando-os de maneira correta e eles mesmo executam tal projeto, não fazendo por algum modo automático como há alguns anos atrás.

E é neste ponto em que eu queria chegar. Estes movimentos que comentei, do final do século XIX e início do XX (Arts and Crafts, Art Nouveau, Art Déco, etc.), desejavam unir o artista, ou seja, quem projetava, desenhava a arte, imaginava o projeto pronto, mas não sabia fazę-lo, com o artesão, profissional que sabia como executar o projeto para ele passado. Deste modo surgiu o designer, alguém que dominava tanto a parte de criação como a produção. Isso começou a influenciar muito neste processo criativo pois, conhecendo a parte da execução, o designer poderia criar algo funcional, visando sua melhor utilização e melhor aproveitamento por parte do usuário.

Acho que nós, Web Designers estamos entrando nessa fase. Com a difusão dos Web Standards e, conseqüentemente, a separação do conteúdo e sua forma de apresentação, estamos deixando de ser apenas artistas para sermos verdadeiros designers, sabendo criar o site, obviamente mas, acima de tudo, como ele funciona e qual será a melhor solução para o projeto proposto, pensando num melhor aproveitamento por parte do usuário, atingindo resultados mais satisfatórios.

Trackback Feed deste artigo

17 comentários para "O artista, artesão e os Web Standards"

  1. Rogério Brum | 13/09/06 - 8:03 pm

    é isso aí mesmo!

    Topo
  2. Micox | 14/09/06 - 9:10 am

    Boa, muito boa.

    Topo
  3. Eugenio Grigolon | 15/09/06 - 10:26 am

    Queria só ver Michelangelo criando um site padrão. Será que ele usaria novamente a capela?

    Topo
  4. Carlos Eduardo de Souza | 15/09/06 - 11:33 am

    Opa, discussőes são ótimas!

    Me desculpe Carlos, mas desta vez não gostei do seu texto.

    Primeiro vocę se atrapalhou, citando: MUITAS PESSOAS ficaram interessadas no processo de construção de um site, recorrendo a programas WYSIWYG . Logo em seguida falou .. WEB DESIGNERS realmente estão aprendendo como um site funciona por dentro

    Vocę falou de todo uma população e depois fez um conclusão em uma amostragem desta população. Muitas dessas pessoas não são webdesigners, o terceiro e o quarto paragrafo são coisas bem diferentes.

    Primeiramente, ao se interessarem, estas “pessoas” não eram Web Designers… Elas foram atrás, logo não sabiam fazer sites.
    Esse “logo em seguida” foi num contexto totalmente diferente. Antes eu havia falado sobre o final do século passado e início deste, onde o desenvolvimento Web não estava tão avançado e comprometido com o usuário. Agora, os Web Designers realmente estão aprendendo como um site funciona por dentro. Portanto, muitas daquelas “pessoas” (nem sei se chega a ser a metade, mas é um número muito considerável) que se interessaram em aprender como fazer um site, utilizando editores WYSIWYG, estão no mesmo rumo daqueles movimentos/vanguardas artísticas que citei.

    Mas então diz que os webdesigners estao entrando nessa fase, estão deixando de serem artistas para se tornarem designers.

    Bom, acho que atualmente e totalmente o oposto disto.

    Não concordo com suas afirmativas. Antigamente, com certeza absoluta de quem se interessou para fazer um site, aprendeu a construir sites fazendo-os num Photoshop da vida e montando o HTML automaticamente. Fazia o envio via FTP mas nada de mais. Isso pra mim não chega nem perto do que seria “conhecer um site realmente por dentro”. Justamente por essa múltipla utilidade do Web Designer do final do século passado e início deste, é simplesmente impossível ter um conhecimento maior sobre todos os processos.
    E, reafirmo, hoje quem se comprometeu a deixar de ser artista, para ser Designer mesmo, sabe como é a melhor forma de montar seu site, pensando no usuário, justamente por essa separação de funçőes. Aí sim, pode-se concentrar no que realmente interessa para um Web Designer.

    Topo
  5. Leandro | 15/09/06 - 2:14 pm

    Beleza Carlos!

    Este é um dos blogs que eu mais gosto de visitar porque o pessoal é topa discussőes sem levar para o lado pessoal, sabem escutar a opinião dos outros e dialogar numa boa!!

    Entendi melhor o que querias dizer: muitas pessoas faziam site em photoshop, porém alguns avançaram mais no assunto, entendendo o codigo fonte, e assim se tornaram webdesigners.

    Acho que ao mesmo tempo ja existiam pessoas que trabalharam direto no HTML (eu por exemplo nem sabia que dava pra fazer site direto no Photoshop!!!). Essas pessoas então não teriam “evoluido” para designers, ja se “nasceram” designers.

    Muito bem, concordo contigo que chegamos neste ponto, mas este momento foi exatamente quando o “webdesigner” fazia tudo em um site, do projeto a programação. Como citei no meu comentario anterior.

    Porém reforço: hoje em dia a situação é diferente. Hoje o Webdesigner se restringe ao layot do site, layout que é feito depois de elaborado a arquitetura de informação do site que foi projetada a partir da análise das necessidades do cliente. Após o layout vem a programação, em html e css, jscript e php (ou asp, cfm, jsp,…).

    Hoje temos profissionais em cada uma destas áreas. Além de ter pessoas especializadas em Usabilidade, conteúdo, propaganda, animaçőes, etc…

    Hoje em dia não temos mais a figura de um DESIGNER, porque o mercado exige pessoas especialistas, temos os artistas (do inicio projeto até a concepção do layout) e os artesőes (que fazem a programação). Ainda encontramos quem trabalhe layout e programação, porém certamente esta pessoa não é boa nem em uma coisa nem em outra.

    Hoje sou artesão, e me orgulho muito disso. Brinco de webdesigner fazendo meus layouts, leio sobre arquitetura de informação, usabilidade (ultimo livro que li foi neste assunto), faço umas animaçőes em flash, etc … porém apenas como diversão, para me interar e não ficar alheio a estes assuntos que ső diretamente ligados ao meu trabalho. Porém profissionalmente trabalho com programação, principalmente em linguagem de servidor.

    Esta situação que vivemos hoje é semelhante ao Administrador, Engenheiro e Arquiteto. O administrado gerencia a obra, o arquiteto projeta e o Engenheiro que se mata calculando as loucuras que o arquiteto inventou. E o pior, quem leva o crédito de tudo é o arquiteto! Querem ver: alguém sabe o nome do engenheiro que construiu Brasília? E do Arquiteto? (não valei procurar no google :)!)

    Abraço!

    Topo
  6. Carlos Eduardo de Souza | 15/09/06 - 3:04 pm

    Legal sua resposta. Sobre a última pergunta, o nome do engenheiro não sei, mas com certeza o arquiteto teve embasamento para realizar seu projeto, não o fez totalmente na imaginação, sem saber que iria funcionar :)

    Concordo com muitas coisas que vocę disse, mas com relação a termos artistas, realmente, eles participam “do inicio projeto até a concepção do layout” e, no contexto que escrevi, HTML e CSS fazem parte disto, pois não são consideradas programaçőes. E é nisso que me baseio para diser que o Designer chegou ao ponto de conhecer como o site realmente funciona por dentro, pois ele é encarregado de cuidar da parte visual e, portanto, faz o CSS e constrói, pelo menos a base, do HTML, para poder pôr em prática o visual por ele proposto.
    Essa é a grande diferença que percebo em relação a antigamente.
    Eu tinha algumas noçőes da parte de HTML, mas com certeza não sabia a metade do que sei hoje, graças a essa preocupação real da construção (mais correta possível) do site.

    Topo
  7. Leandro | 15/09/06 - 9:10 pm

    Estamos divergindo nos conceitos. Vocę esta acumulando funçőes no Webdesigner, ele não faz html e css. Vou procurar um material e trazer aqui pro blog pra esclarecer esta divergęncia de conceitos.

    Antigamente o webdesigner fazia tudo mesmo, ao contrario do que o mercado exige hoje. Facilmente vocę diferencia um site feito por uma equipe profissional composta de arquitetos de inforamação, webdesigners e programadores de um site mais amador feito por “webdesigner” que faz tudo.

    Abraço

    Topo
  8. Carlos Eduardo de Souza | 16/09/06 - 6:26 pm

    Continuo achando que HTML e CSS não são só para programadores.

    Concordo com muita coisa que vocę disse, mas não vejo nenhum lugar em que vocę seja só “desenhador de layouts” e não saiba por a “mão na massa”.
    E é isso que estou falando desde o princípio, pois o que diferencia um bom de um ruim Web Designer, é aquele que sabe como o processo todo funciona por dentro, e sabe construir (pelo menos a base) do seu site, ou seja, seu HTML e CSS que não são linguagens de programação.

    Topo
  9. Carlos Eduardo de Souza | 16/09/06 - 6:30 pm

    Prosseguindo com meu raciocínio, Designer não é aquele que só sabe fazer coisas “bonitas”.

    Ele já estudou para fazer o melhor uso de cores possível, a disposição mais correta dos elementos no site (ou impresso) e coisas do tipo. Por isso, não que vocę tenha a intenção, mas me pareceu uma desvalorização da nossa profissão em suas afirmaçőes.

    Repito, foi o que percebi, não que vocę realmente pense desta forma.

    Topo
  10. Carlos Eduardo de Souza | 18/09/06 - 12:19 pm

    Mas eu concordo em muitas partes com vocę. Até porque faço graduação num curso de Artes Gráficas, ou seja, aprendo muito sobre o que é Design, o que é ser um Designer e o que posso fazer com tais conhecimentos.

    Vocę frizou muito bem, temos que conhecer o que estamos fazendo. O único ponto que discordamos, é que eu acho que o Web Designer precisa fazer um pouco mais do que desenhar pra saber realmente como realizar o projeto. Nesse caso, mexer com o HTML e CSS de seu site, entregando-os prontos e bem feitos para o programador do site continuar o processo.

    Vocę citou Designer de Automóveis e de Moda, mas aí são casos diferentes. Se eu fosse englobar todo tipo de Designer no que escrevi, não daria certo… Até porque não posso escrever sobre outras áreas as quais não tenho contato.

    Mas gostei muito da discussão, vocę possui ótimos argumentos também.

    Abraço! :)

    Topo
  11. Leandro | 18/09/06 - 2:52 pm

    Isso aí Carlos!

    Mas como eu comentei:

    “… Webdesigner pode trabalhar HTML+CSS, assim como o programador pode fazer layout. Porém não é atribuição do webdesigner trabalhar o código fonte, assim como não trabalho do programador fazer layout.”

    O webdesigner pode aprender a programar HTML+CSS, mas assim ele esta fazendo duas tarefas, como ja mencionei, em empresas de desenvolvimento web profissionais isto não acontece. Trabalhei 1 ano em uma empresa aqui no Sul, A equipe contava com 3 programadores serverside (2 em ASP e 1 em PHP), 1 programador HTML+CSS+jscript, 2 designers (sendo que um também fazia animaçőes em flash) e mais 1 arquiteto de informação.

    Acho que vocę não pode dizer isso: “..Vocę citou Designer de Automóveis e de Moda, mas aí são casos diferentes…”. Não são diferentes, todos derivam da mesma profissão, tem a mesma carga teorica na faculdade, porém cada um se especializou em áreas diferentes. Dizer que são diferentes é a mesma coisa que dizer que Cardiologista não é médico.

    Assim como o webdesigner precisa entender html+css, assim como o Designer de Automóveis precisa entender de motor (ex: o designer esta projetando um carro veloz, precisa de um espaco para um motor mais potente, entao ele tem que verificar com técnicos que motor ele pode colocar, se existe um motor pequeno potente ou apenas grande). Mas ambos não precisam por a mão na massa. Mas se assim quiserem eles podem sem problemas. Porém não é atribuição deles.

    Abraço

    Topo
  12. Eugenio Grigolon | 18/09/06 - 5:54 pm

    Caraca!! Que post magnífico!! Ótimo comentários, muito boa a discussão, estou aprendendo muita coisa com seu site Put.

    Parabéns!!

    Topo
  13. Carlos Eduardo de Souza | 18/09/06 - 7:04 pm

    Dizer que são diferentes é a mesma coisa que dizer que Cardiologista não é médico.

    Mas a escala é muito diferente. É muito mais acessível para um Web Designer aprender um HTML e CSS do que um Designer de Automóveis montar um carro, não concorda? As proporçőes são diferentes, por isso digo que é bem diferente.

    Ambos são Designers, obviamente. Mas o processo é diferente.

    Uma empresa multi-nacional me chamou para trabalhar com eles pra lidar com HTML e CSS, mas também justamente por eu estar fazendo uma faculdade ligada ao Design pois acho que conta mais algum Designer que saiba mexer bem com tais “técnicas” do que um programador que só mexa com isso.

    Ah, Eugenio, muito obrigado pelos elogios. É legal ver alguém que valoriza também essas discussőes que só servem pra acrescentar e um post como esse que considero bem mais profundo que muita coisa por aí… Digo isso pois vejo bastante assunto repetido e nenhuma análise diferente das coisas… É legal cada um ter seu ponto de vista!

    Abraço a todos.

    Topo
  14. Leandro | 18/09/06 - 7:51 pm

    Acho que estamos quase chegando a um consenso!

    Concordo contigo que são escalas diferentes. Mas podem ser comparadas. Assim como vocę optou por Webdesign, e gosta de HTML + CSS, tenho certeza que quem optou por Design automobilistico também gosta de motores!

    Eu não estou dizendo que um webdesigner não pode trabalhar com programação. Um webdesigner pode também aprender profissionalmente a trabalhar com HTML+CSS. Assim como foi seu caso na empresa-multinacional.

    Mas como eu ja disse, HTML+CSS não é atribuição do WEBDESIGNER, ou seja, o webdesigner não precisa saber de HMTL+cSS para ser webdesigner.

    Muitas empresas que querem ter seu desenvolvimento interno contratam profissionais multifunção. Eu já trabalhei, e ainda trabalho assim. Faço o site de uma faculdade, programação e ainda o sistema de gestão acadęmica. Porém não é isto que estou discutindo aqui.

    Estou discutindo as reais atribuiçőes de um Webdesigner. Que em empresas especializadas em desenvolver software utilizam.

    Isto não chega a ser um discussão de ponto de vista, pois estamos discutindo um conceito. Eu lhe apresentei argumentos e referęncias, não apenas opiniőes. Numa discussão temos que diferenciar FATOS de PERCEPÇŐES.

    Muitas empresas oferecem cursos de WEBDESIGNERS, mas isto acontece pq para leigos é assim que chamam que trabalha com desenvolvimento web.

    Quando me perguntam o que eu faço digo que sou Desenvolvedor Web. É uma maneira de englobar um monte de atividades em um unico nome (desde o arquiteto de informação até o programador). Ou seja, sou profissional em desenvolvimento de sistemas web, desde o projeto até a construção.

    Eu concordo com o texto inicial do Post, porém usaria o termo desenvolvedor web.

    Porém, o mercado de trabalho para profissionais web dificilmente aceita profissionais multifunção (empresas grandes).

    Abraço!

    Topo
  15. Carlos Eduardo de Souza | 18/09/06 - 8:25 pm

    Mas na discussão não estamos disputando para ver quem está certo ou errado. Cada um expőe seus pontos de vista, é assim que vejo, pelo menos.

    Realmente, não é obrigação de ninguém aprender HTML e CSS para “desenhar” um site. Mas o que escrevi foi com relação ŕqueles que estão se preocupando com isso também, e acho muito legal e conta bastante como diferencial perante os outros. :)

    Topo
  16. Leandro | 18/09/06 - 11:39 pm

    Muito bem, agora vocę deixou bem claro: “.. escrevi foi com relação ŕqueles que estão se preocupando com isso também, e acho muito legal e conta bastante como diferencial perante os outros…”.

    Minha discussão aqui era esclarecer a real atribuição de um webdesigner, que foi apresentada de forma equivocada.

    Nosso bate papo foi bastante interessante!

    Aguardo seu proxímo POST!!

    Abraço!

    Topo
  17. Eugenio Grigolon | 19/09/06 - 7:59 am

    Digo isso pois vejo bastante assunto repetido e nenhuma análise diferente das coisas

    Isso é que vem ocorrendo muito nos blogs de hoje.
    Mas isso é assunto para outro tópico (que acho muito legal ser discutido).

    Continue o bom trabalho, abraços!!

    Topo
Comente este artigo
  1. (obrigatório)
  2. (obrigatório)

Links Randômicos
Meta
Apoio
Créditos
Creative Commons