Pular para conteúdo 
Зеленый кофе

O autor

Carlos Eduardo de Souza, Front-End Developer & Interface Designer na Coopers Digital Production, dedica seu tempo para o desenvolvimento de uma Web mais acessível. Possui certificado W3C em Mobile (sites e web apps) e HTML5.

Portfolio e blog sobre Web Standards – project.47, de Carlos Eduardo de Souza

Blog

Topo 13/01/08

Ser especialista é melhor do que saber um pouco de tudo

Esse é um tema que venho pensando em abordar há um bom tempo, principalmente agora com o amadurecimento das profissőes voltadas ŕ Internet.

Lá pelo final da década de 90, quando houve o boom da Internet, surgiram vários “profissionais” que diziam saber de tudo, ou melhor, se intitulavam “Webmasters” que, teoricamente, sabiam e faziam de tudo no site.

Porém, como dito anteriormente, com o amadurecimento das profissőes e serviços prestados, além do surgimento de novas categorias, foram exigidos conhecimentos cada vez mais específicos. Por exemplo, hoje em dia, é obrigatório termos um profissional que saiba de Design voltado para Web e outro de TI, cada um em sua área. Posso afirmar que, quanto mais focado em sua profissão, mais bem sucedido vocę será nela. Mas não devemos nos esquecer de termos noçőes das outras etapas que envolvem o projeto.

Mas essa questão toda da especialização pode acabar se tornando uma armadilha para alguns. Com certo tempo de trabalho, conheci muita gente que acha que ser Designer basta para criar o layout para um site, por exemplo. Quem acaba se dando mal é o cara encarregado de fazer o HTML e CSS, tendo que se desdobrar para montar layouts mirabolantes, exigindo PNGs transparentes, fundos pesadíssimos, etc… Quantos já não passaram por isso?

Como Designer, posso afirmar que para se criar algo voltado para a Internet, deve-se fazer uma pesquisa sobre esse tipo de mídia, pois são apresentadas algumas “limitaçőes” (como na escolha de fontes, por exemplo), além da própria maneira do usuário interagir com ela ser totalmente diferente de um cartaz, por exemplo. Aliás, essas limitaçőes acabam deixando louco o pessoal que só trabalha com mídias offline.

Na realidade, o ponto ideal seria cada um conhecer e ser o mais focado possível em sua profissão, mas nunca chegar ao ponto de não saber mais nada das outras áreas que envolvem seu projeto, pois isso poderá acarretar sérios problemas para a continuidade do mesmo. Entrando em termos práticos, o resultado disso tudo seria a famosa “refação”, devido a falta de qualidade do produto entregue.

Leia também: Vocę trabalha com comunicação digital

Assuntos: Geral, Web Design
Trackback Feed deste artigo

8 comentários para "Ser especialista é melhor do que saber um pouco de tudo"

  1. Rodrigo Teixeira | 13/01/08 - 11:39 am

    Olá Carlos, tudo bem?
    Ótimo post o seu!

    Atualmente sou estagiário de um empresa que consultoria para internet e sei bem o que é esse momento. Graças aos grandes avanaços tanto da internet, como na forma do gerenciamento do projeto, podemos enriquecer quando somos especialistas em alguns pontos do que em muitos. Esse foco não só delimita a importância de cada profissional dentro do projeto, mas possibilita uma maoir integração fazendo com que o trabalho possa ser mais produtivo e por conseqüęncia, melhor.

    Um grande abraço!

    Topo
  2. Carlos via Rec6 | 14/01/08 - 10:19 am

    Ser especialista é melhor do que saber um pouco de tudo…

    Com o amadurecimento da Internet e, conseqüentemente, dos profissionais e serviços oferecidos, a idéia do “Webmaster”, aquele que fazia de tudo, não se encaixa mais em nossa realidade….

    Topo
  3. Alexandre Formagio | 14/01/08 - 10:49 am

    Perfeito, só o título já diz isso.

    Eu sempre falo isso nas minhas palestras :)

    Topo
  4. Tárcio Zemel | 15/01/08 - 3:06 pm

    Aqui na cidade onde trabalho, Juiz de Fora, o mercado web ainda está engatinhando… Não se encontrar muitos profissionais capaz e com esse grau de especificidade que vocę citou no artigo.

    Eu concordo plenamente! Devemos deixar a fase de “adaptação” de lado e partir para algo mais focado, mais segmentado, quando o assunto é desenvolvimento para web.

    Não devemos esquecer, também, que há a possibilidade de fulano ser especialista em mais de uma área, como design e programação, por exemplo.

    No mais, só posso dizer que este foi um excelente artigo! Aguardo os próximos! :-D

    Topo
  5. Nel | 15/01/08 - 4:10 pm

    Realmente, a especialidade faz o profissional se destacar, em qualquer que seja o ramo/atividade.

    Ótimo artigo.
    [ ]s

    Topo
  6. João Paulo | 16/01/08 - 9:54 pm

    Show de bola o post, disse tudo.

    Topo
  7. Edilson de Souza | 21/01/08 - 12:43 am

    Esse tema ainda dá muito “pano pra manga”, pois muitas pessoas ainda acham que o Profissional tem que ser multiuso. Na empresa em que trabalho tenho que pegar no pé de muita gente para cuidar de imagens e design para que eu possa ficar mais livre para programar, mesmo assim não é fácil. Mas também penso que precisamos ter uma boa noção de todo o processo de nossos projetos, até porque, ŕs vezes, vocę precisa realmente se desdobrar para corrigir algumas besteiras de outros…
    Obrigado pelo artigo, espero podermos discutir mais esse assunto.

    Topo
  8. Metatags, Longdesc e a realidade... - Mundo Tecno | 24/01/08 - 4:41 pm

    […] finalizar, vou deixar essa referĂncia. Acho importante, principalmente para os […]

    Topo
Comente este artigo
  1. (obrigatório)
  2. (obrigatório)

Links Randômicos
Meta
Apoio
Créditos
Creative Commons